Domingo , 17 Dezembro 2017

 

Foi aprovada por unanimidade pelo Conselho de Meio Ambiente do Município de Salvador (Comam) a licença prévia do projeto de Corredores de Transporte Público Integrado de Salvador (BRT), considerada uma das mais importantes intervenções viárias já realizadas na capital baiana. A reunião aconteceu na manhã desta quinta-feira (24), no auditório da Secretária Municipal de Urbanismo e Transporte (Semut).

Durante a reunião, houve diversas manifestações favoráveis. As entidades da sociedade civil recomendaram ajustes que serão incorporadas à licença prévia e considerados no momento da concessão da licença de implantação. Após ser votada e aprovada a primeira, a Prefeitura aguarda aprovação da Caixa Econômica Federal ao projeto. Em seguida, será lançado o edital de licitação da obra.“A expectativa é que, depois de lançado o edital, o contrato seja assinado até o final do ano com a empresa vencedora do certame”, explicou o titular da Semut, Fábio Mota.

Cinco empresas consideradas pré-qualificadas devem concorrer à licitação. São elas: OAS, Queiroz Galvão, Camargo Correia, Odebrecht e Constran. Considerado como problema da mobilidade urbana de Salvador, a ligação Lapa/Iguatemi é alvo das intervenções viárias para o BRT. Pelo projeto, será criada uma via expressa de 8,7 quilômetros que sairá da Estação da Lapa, no centro da cidade, até a Praça Newton Rique, na região do Iguatemi.

Para isso, serão construídos complexos de viadutos no Lucaia, Parque da Cidade e Iguatemi para viabilizar as vias exclusivas de ônibus nos canteiros centrais nas avenidas Vasco da Gama, ACM, Juracy Magalhães Jr. e Praça Newton Rique, onde o sistema fará integração com o metrô. A estimativa é que, com a obra, o tempo para percorrer o trecho Lapa/Iguatemi caia de mais de uma hora para 15 minutos. Segundo Fábio Mota, os recursos para a obra já estão assegurados junto ao BNDES, Caixa Econômica Federal e Prefeitura.