Segunda-Feira , 16 Setembro 2019
0
0
0
s2sdefault

O Diário Oficial do Município (DOM) publicou nesta sexta-feira (07) os nomes dos oito representantes civis eleitos para o Conselho Municipal de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa Social (CMDH), e seus respectivos suplentes na gestão 2019-201. O colegiado é um órgão deliberativo da política municipal de direitos humanos, vinculado à Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre).

Venceram o pleito representantes da Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros da Bahia (Atração), da Associação Rua Tua Maria Lúcia, do Centro Comunitário Clériston Andrade, do Instituto de Desenvolvimento, Inclusão e Assistência Social, do Instituto Baiano da Paz, da Iniciativa Negra por uma Nova Política Sobre Drogas, do Conselho Regional de Psicologia e da Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Baiana de Imprensa (ABI) e a Câmara Municipal de Salvador possuem assentos permanentes no órgão. O secretário da Sempre, Leo Prates, afirmou que, após a implantação do CMDH, a próxima tratativa será a implementação do Fundo Municipal dos Direitos Humanos.

“O CMDH é um conselho que tende a ajudar muito, tanto nas políticas institucionais de combate ao racismo, à LGBTfobia, e, principalmente, reafirma a posição da Prefeitura de defesa irrefutável dos direitos humanos. Esse é um ato para mostrar que estamos contra qualquer retrocesso e não aceitaremos ataques para como as políticas de cotas para mulheres e para negros”, afirmou o secretário.

0
0
0
s2sdefault