Sábado , 18 Agosto 2018
0
0
0
s2sdefault

Aberta em janeiro deste ano, em comemoração ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, a exposição Orixás da Bahia segue em cartaz no Espaço Cultural da Barroquinha, equipamento gerido pela Fundação Gregório de Mattos (FGM). No último domingo (13), a mostra ultrapassou a marca de 2,5 mil visitas, de diversas idades, classes, lugares e crenças. A exposição fica aberta à visitação gratuita de quarta a domingo, das 14 às 19h, até 30 de junho.

A mostra traz 16 estátuas em tamanho natural de divindades africanas, esculpidas em papel marchê pelo artista plástico Alecy Azevedo (in memorian), criada em 1973 por D. Elyette Magalhães (in memorian). A curadoria tem assinatura do artista visual, cenógrafo, aderecista e figurinista Maurício Martins, com consultoria religiosa de membros do Terreiro do Gantois, cuja Iyalorixá Mãe Menininha (in memoriam) foi responsável por vestir os 16 orixás, na década de 80.

O cenário projetado visa promover um diálogo entre elementos da ancestralidade e da contemporaneidade. Para recuperar as roupas (figurinos) e os adereços que vestem as esculturas de Alecy, Martins conta com a coordenação de Jane Palma e das costureiras Joselita França, Alzedite Santos, Clara Guedes e Regina Celia Santos. As obras integram o acervo do Museu da Cidade, expostas na Galeria Juarez Paraíso.

0
0
0
s2sdefault