Quinta-Feira , 06 Agosto 2020
0
0
0
s2sdefault

Fotos: Valter Pontes/Secom

A população de Salvador passa a contar, já a partir das 19h desta sexta-feira (17), com mais 20 leitos de UTI exclusivos para tratamento de casos de Covid-19, instalados pela Prefeitura na segunda tenda do Hospital de Campanha (HCamp) Wet’n Wild, na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela). A nova estrutura foi entregue pela manhã com as presenças do prefeito ACM Neto, do vice Bruno Reis e do titular da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, além do corpo técnico e imprensa.

Com ordem de serviço que autorizava a instalação assinada em maio último, quando foi inaugurada a primeira etapa do HCamp Wet’n Wild, a segunda tenda da unidade de saúde também vai abrigar 80 leitos de enfermaria, que deverão entrar em funcionamento na próxima sexta-feira (24). Com as duas estruturas, o hospital terá capacidade de atender 190 pacientes no total, sendo 70 para leitos de UTI e 120 de enfermaria, encaminhados através do sistema de regulação da saúde.

De acordo com o prefeito, a entrega imediata dos 20 leitos de UTI é fruto do esforço da gestão em oferecer logo este tipo de equipamento, já que a taxa de ocupação na capital, registrada ontem, foi de 78%. “Sobretudo depois que a Prefeitura e o Governo do Estado anunciaram os critérios para a retomada das atividades econômicas, e foi condicionado que a primeira etapa seria iniciada a partir do alcance de 75% da taxa de ocupação dos leitos de UTI por cinco dias.”

Segundo o secretário Leo Prates, a cidade passa então a ter 631 leitos de UTI exclusivos para casos de Covid-19. “Isso vai possibilitar que a nossa taxa possa descer para 75% de ocupação. Além disso, os 25 leitos implantados em parceria entre Prefeitura e governo do estado no Hospital de Campanha Arena Fonte Nova deverão ser abertos até amanhã (18), o que baixaria a taxa para 72% e ampliaria o número para 656 leitos deste tipo.”

Empenho e agradecimento – Na ocasião, foi relembrado ainda todo o trabalho feito para implantar um hospital de campanha do zero – coisa impensável para administração municipal até então. “Ao contrário do que muitos imaginam, montar um hospital do zero é uma atividade muito complexa. A partir do momento em que passa a receber os pacientes, tudo tem que estar funcionando muito bem, de forma adequada e segura. Não há margem para erro, pois pode significar a vida de uma pessoa”, destacou ACM Neto.

O gestor também aproveitou para agradecer aos profissionais do Samu, serviço que completa 15 anos de existência neste sábado (18), e a todos os que estão trabalhando no hospital de campanha pelo esforço empreendido em salvar vidas. Desde 12 de maio, somente na primeira tenda, já foram atendidas 524 pessoas e 337 vidas foram salvas – índice de 64% de pacientes recuperados na unidade.

Estrutura – Um diferencial do HCamp Wet’n Wild é a instalação de um moderno tomógrafo, com o objetivo de melhorar significativamente a capacidade de diagnóstico da Covid-19. O equipamento funciona na área externa do hospital, em um contêiner que possui climatizador de precisão para purificar e descontaminar o ar ambiente, matando qualquer tipo de microrganismo, inclusive o coronavírus.

O equipamento tem o propósito de auxiliar a rede de assistência que passou a ter alta demanda de exames por imagem provocada pela pandemia. A tomografia é hoje muito utilizada como exame complementar importante, realizado para identificar e monitorar a evolução da inflamação provocada pelo coronavírus no sistema respiratório.

Assim como a primeira, a segunda tenda do hospital vai oferecer, 24h por dia, serviços médicos e de enfermagem, nutrição, farmácia, fisioterapia e serviço social. Também terá serviço de apoio diagnóstico e terapêutico, laboratório para análises clínicas, eletrocardiograma e radiologia clínica, além de hemodiálise beira-leito. A gestão da unidade será feita pela Associação Saúde e Movimento (ASM), vencedora da licitação municipal.

A equipe é composta por 529 profissionais, sendo 14 médicos plantonistas intensivistas, 14 médicos diaristas de UTI, sete médicos clínicos plantonistas, 28 médicos clínicos diaristas, 16 médicos especialistas dentre pneumologista, infectologista e radiologista. Atuarão ainda 22 enfermeiros de UTI e 30 de enfermaria, sete nutricionistas, 22 fisioterapeutas, dois psicólogos, oito assistentes sociais, cinco farmacêuticos, 55 técnicos de enfermagem de UTI, 100 técnicos de enfermagem de clínica médica, 14 técnicos de radiologia, 12 auxiliares de farmácia, seis maqueiros e 14 copeiros, além do suporte administrativo.

 

0
0
0
s2sdefault