Sábado , 28 Março 2020
0
0
0
s2sdefault

Foto: Bruno Concha - SECOM

Comemorada na quinta-feira anterior ao Carnaval, a Lavagem de Itapuã completa 115 anos nesta quinta-feira (13). Promovida por baianas, trajadas a caráter, que levam potes de cerâmica com água de cheiro e flores para lavar a escadaria da igreja de Nossa Senhora da Conceição de Itapuã, a manifestação cultural é o último evento popular que antecede o Carnaval no calendário oficial de festas de Salvador. A festa é apoiada da Prefeitura, por meio da Empresa Salvador Turismo (Saltur).

As primeiras ações já começam às 2h, quando os moradores saem pelo bairro atrás do Bando Anunciador, que convida a comunidade a sair das próprias casas para participar da festa. Às 10h, será iniciado o cortejo das baianas em direção à igreja, onde acontece o ponto alto da festa. À tarde, é a vez dos blocos de chão fazerem a folia, arrastando milhares de foliões pelas ruas do bairro.

Após a lavagem das escadarias da igreja, localizada na Praça Dorival Caymmi, o ritual segue com samba de roda envolvendo toda a comunidade. Por volta das 12h, cerca de 200 baianas realizam a segunda lavagem na frente da igreja. A parte profana é sempre no turno da tarde e estende até à noite com desfile de blocos e bandas.

A festa dura mais três dias com uma programação que mescla atividades religiosas e culturais. Na sexta (14), atrações locais se apresentam no bairro em clima de ressaca. Já o sábado (15), será marcado por diversas práticas náuticas esportivas e ainda pelo Terno de Reis, manifestação cultural histórica feita por moradores locais, a partir das 18h. As celebrações chegam ao fim na segunda-feira (17), com a entrega de uma oferenda a Iemanjá, a partir das 15h, e uma peixada nativa, às 18h, na sede da Associação dos Moradores do bairro.

História – Surgida no século XIX, a Lavagem de Itapuã ocorria sempre no dia 2 de fevereiro, fruto de uma devoção dos pescadores à Nossa Senhora da Purificação. A partir da década de 1930, passou a ser realizada como devoção à Nossa Senhora da Conceição de Itapuã, na quinta-feira que antecede o Carnaval. Oficialmente, a festa completa 115 anos em 2020, mas, segundo o pesquisador Nelson Cadena, autor do livro “Festas Populares da Bahia. Fé e Folia”, o registro mais antigo do evento é de 1898, com atividades como a chegança e o quebra-potes.

No início havia também uma romaria de pescadores com oferenda à Iemanjá, antes mesmo da festa em reverência à orixá começar a ser realizada no Rio Vermelho. O ritual permanece, ainda que com menor repercussão. A Lavagem de Itapuã tem uma singularidade importante: a resistência do Bando Anunciador, que segundo o pesquisador, é a única manifestação das festas populares de Salvador que se mantém por décadas.

 Programação da quinta-feira (13)

02h – Bando Anunciador

05h – Lavagem Nativa

06h – 2ª Corrida do Feijão do Serjão

10h – Cortejo das Baianas

10h05 – Manifestações Culturais

10h25 – Escola de Samba Unidos de Itapuã

10h35 – Kitut com Cerveja

10h45 – Kimbaila Erê

10h55 – Bloco dos Cornos

11h05 – Turma do Realise

11h15 – Ecoar dos Tambores

11h25 – Chabisc

11h35 – Malê de Balê

11h45 – Ginga e Remandiola

11h55 – Nem te Conto

12h05 – Celso Som

12h15 – Puxada Itapuanzeira

12h25 – Pipoca de Oxeturá

12h35 – Pinauna Power

12h45 – Amigos pelo Samba

12h55 – Sambeleza

13h05 – Itatri

13h15 – Chaveirinho do Arrocha

13h25 – Arrastão Pode Pá

13h35 – Bloco Bom D+

13h45 – Arrastão Beath XXI

13h55 – Turma da Jacutinga

14h05 – As Santinhas

0
0
0
s2sdefault