Quinta-Feira , 17 Outubro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Jefferson Peixoto - Secom

O funcionamento do Quarteirão das Artes, complexo que abriga diversos espaços culturais na Ladeira da Barroquinha - a exemplo da nova sede da Fundação Gregório de Mattos (FGM), inaugurada ontem (07) -, está entusiasmando transeuntes, comerciantes e gestores de espaços ligados à cultura na cidade.
 
Poetisa e fotógrafa, Diele Moreira, 21 anos, é frequentadora assídua da região e afirma que o Quarteirão das Artes vai possibilitar aos jovens um ambiente para desenvolvimento de ideias e aperfeiçoamento de habilidades artísticas, além de colaborar com a ocupação da região, que é extremamente rica visualmente. 

“Eu sou apreciadora da região. Pontos de arte e cultura como estes são muito importantes para a movimentação na área. Espaços assim são essenciais, a exemplo do cinema, que se tornou um ponto de encontro para jovens negros e periféricos. A expectativa é grande de ter mais um local onde possamos nos sentir em casa”, explicou. 

A diversidade de espaços ligados à cultura, em seus diversos aspectos, é a aposta da Prefeitura para atrair o público baiano para frequentar a localidade, principalmente em horários que hoje não possuem um fluxo grande de pessoas. O local já conta com o Espaço Itaú de Cinema, que este ano celebra seu centenário, a livraria que funciona no mesmo prédio do cinema, o Espaço Cultural da Barroquinha e o Teatro Gregório de Mattos, dois equipamentos da Prefeitura. 

Com a inauguração da Fundação Gregório de Mattos, que, além de levar seu setor administrativo para o prédio onde funcionava o antigo Hotel Castro Alves, abriga também o Espaço Cultural Boca de Brasa, com duas salas de ensaio, um café-teatro e uma sala multiuso que poderá funcionar como auditório, a expectativa positivo se tornou ainda maior. .
 
Novo norte - A estrutura do Quarteirão das Artes foi pensada pela Prefeitura de forma a valorizar o Centro Histórico. Para o diretor do Espaço Itaú de Cinema, Claudio Marques, a chegada da FGM ao complexo só reforça a importância histórica do local privilegiado em diversos aspectos. 

“A chegada da fundação dá um novo norte. Essa é uma parte da cidade que está completamente mudada, mas ainda há casas e prédios vazios e que precisam ser ocupados. É importante ainda trazer moradia para a região, de forma que o Quarteirão respire arte o tempo todo. É importante que Salvador perceba como é privilegiada por ter esse conjunto arquitetônico e equipamentos de tamanha qualidade funcionando na cidade”, pontuou. 

O momento também se mostra auspicioso para comerciantes e trabalhadores locais. Para a balconista Antônia Rosileide Bastos, que labuta há oito anos em uma loja de roupas situada na mesma rua onde funciona a nova sede da FGM, uma das grandes vantagens do funcionamento do complexo será a sensação de segurança proporcionada pela ocupação dos espaços. 

“A gente espera que a segurança daqui melhore com o movimento das pessoas transitando nesses espaços. Hoje, quando saímos da loja, por volta das 18h30, o movimento de pessoas na rua é baixíssimo. Com a chegada dos espaços, além de melhorar as vendas, teremos mais segurança para andar tranquilos”, afirmou Rosileide.

 

 

0
0
0
s2sdefault