Quinta-Feira , 17 Outubro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Jefferson Peixoto - SECOM

Uma visita guiada às instalações do Colobare, no Parque da Cidade, e uma roda de conversa marcaram o “Papo com a Juventude”, primeira iniciativa da programação promovida pela Secretaria de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) em alusão ao Setembro Amarelo - mês municipal de combate ao suicídio. A programação reuniu 50 jovens da ONG Ensino Social Profissionalizante (Espro), nesta terça-feira (10), considerado o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

O objetivo da ação direcionada a jovens com idades entre 17 e 29 anos, é conscientizar a juventude, quebrando tabus e preconceitos que rodeiam o tema, promovendo a valorização da vida e o aumento da autoestima.

Através de uma metodologia descontraída e de linguagem casual, o psicóloga da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) Tansir Omoni e a secretária da SPMJ, Rogéria Santos, mediaram uma discussão participativa. Durante a explanação, foram apresentados os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), revelando que nove em cada dez mortes por suicídio poderiam ser evitadas.

“Os números assustam. Precisamos falar mais e escutar a juventude sobre esse assunto. Cuidar de jovens para nós é uma função primordial. É nosso papel trabalhar pelo bem-estar da juventude. Estamos aqui para ouvi-los e dar o ombro amigo”, disse a secretária, reforçando a importância da valorização da vida.

Rogéria Santos destacou ainda que o projeto “Papo a Juventude” é uma ação que visa a aproximação com os jovens com intuito de orientá-los. “Viemos hoje aqui nesse espaço incrível e inspirador, que é o Colabrore, mas vamos no campo de futebol, nas escolas e onde a juventude estiver”, frisou.

Prevenir - Ainda segundo a OMS, a prática fatal contra a própria vida é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Esses dados representam um aumento de 40% de suicídios entre os brasileiros nessa faixa etária, na última década. “Combater o suicídio é um caminho possível, pois 90% dos casos poderiam ser evitados apenas com a ajuda adequada, e essa ajuda vem de cada um de nós, por meio de apoio e motivação podemos salvar vidas”, afirmou a titular da SPMJ.

Estudante do curso Aprendizes em Serviços Administrativos da Espro, a jovem Brenda Neris, 19 anos, considerou que ações como a da SPMJ ajudam na prevenção de um problema que tem devastado a juventude. “Infelizmente, depressão e suicídios não são tratados como deveriam, principalmente dentro das famílias. Às vezes, a situação está ao nosso lado e não percebemos e não sabemos como agir. Precisamos falar disso não apenas no Setembro Amarelo, mas durante o ano inteiro”.

0
0
0
s2sdefault