Terça-Feira , 12 Novembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Max Haack - Secom

Salvador será uma das capitais brasileiras que receberão equipes do Ministério da Saúde para a realização de uma pesquisa sobre a condução de veículos após o consumo abusivo de álcool e a taxa de mortalidade por acidente de trânsito. A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) é um dos órgãos que vão auxiliar no estudo.

Os resultados vão ajudar a pasta federal a analisar o grau de implantação do Programa Vida no Trânsito (PVT) em 14 capitais brasileiras selecionadas, presentes nas cinco regiões do país. As ações do PVT visam contribuir, no âmbito municipal, para o cumprimento da meta da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, que é a redução, pela metade, das mortes causadas pelo trânsito até o ano de 2020.

“Para nós da Transalvador, que estamos na coordenação municipal do PVT, é muito importante participarmos dessa pesquisa. É mais uma maneira de podermos verificar a efetividade do trabalho que fazemos aqui em Salvador para a garantia da segurança no trânsito”, afirma Fabrizzio Müller, superintendente da Transalvador.

Desde 2017, Salvador superou a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) para a década 2011- 2020, que era de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito. Entre os anos de 2012 a 2017, o órgão conseguiu reduzir em 51% o número de acidentes com vítimas fatais na capital baiana. Se comparado com 2018, a redução chega a 53,8%.

Entrevistas – Para a pesquisa, cerca de 350 condutores de carros e motocicletas serão entrevistados entre os dias 28 de agosto e 1º de setembro. As abordagens ocorrerão em dois momentos: durante as blitze da Lei Seca e em pontos de aglomeração como feiras, supermercados, shopping centers.

A pesquisa será feita por representantes do Ministério juntamente com servidores do órgão de trânsito municipal, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), das secretarias municipal e estadual de Saúde e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Durante a blitz, após passarem pelo teste de alcoolemia, o condutor será direcionado voluntariamente para os pesquisadores. Nesse momento, eles responderão a algumas perguntas sobre os comportamentos deles no trânsito. A identificação do pesquisado não será revelada na pesquisa.

“A realização desse estudo está em conformidade com os principais eixos de atuação do Programa Vida no Trânsito, considerando a importância da articulação entre os órgãos e a qualificação das informações”, afirma Mirian Bastos, gerente de Educação para o Trânsito da Transalvador e coordenadora do Comitê Vida no Trânsito de Salvador.

 

0
0
0
s2sdefault