Quinta-Feira , 17 Outubro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Jefferson Peixoto - SECOM

A edição de julho da roda de conversa Patrimônio É..., promovida pela Prefeitura por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM), vai discutir o tema “A Criança na Capoeira”, na próxima terça-feira (30), às 18h, no Espaço Cultural da Barroquinha, no Centro. O evento é gratuito e aberto a todos os interessados.

Os convidados são Alexandra Amorim, professora de Educação Física e de Capoeira da Educação Infantil da Unifacs; Anderson Alexandre Lopes, coordenador pedagógico do Projeto Ginga de Peito Aberto; e Maria Luisa Bastos Pimenta Neves/Contramestra Lilu, que é educadora, pesquisadora e contramestra de capoeira. A mediação fica por conta do arquiteto, encenador e dramaturgo Edvard Passos.

A capoeira ajuda as crianças exercitarem não apenas o corpo, mas também a mente – tudo isso de maneira lúdica e divertida. Através dessa aparente brincadeira, são favorecidas a coordenação motora, a criatividade, a autoestima e a noção de espacialidade. Além disso, educa as crianças na administração do tempo e espaço, dentro de um movimento. O resultado observado é de pequenos mais seguros e autoconfiantes.

Educação patrimonial – O Patrimônio É... é um projeto do Salvador Memória Viva, programa de atividades de proteção e estímulo à preservação dos bens materiais e imateriais do município. Aborda a questão do patrimônio cultural em diálogo com a história, memória, arquitetura, espaço público, educação, gestão e economia da cultura.

Além de manter uma pauta fixa mensal para o tema, promove a educação patrimonial e colabora no direcionamento das ações dos institutos de tombamento e registro. Contribui, ainda, nas instâncias de salvaguarda e instrumentaliza a política municipal para atuar na valorização da memória histórica da cidade.

A atividade prossegue até novembro próximo. Este ano, os encontros já abordaram os temas “Patrimônio arqueológico: vestígios do passado”, em abril; “Avenida 7 de setembro: vetor da modernidade”, em maio; e “São Roque e São Lázaro: expressões do sagrado”, em junho.

0
0
0
s2sdefault