Quinta-Feira , 20 Junho 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Divulgação

Reconhecido em 2018 como patrimônio cultural de Salvador, o samba junino anima diversas localidades de Salvador até o início de julho. As atividades são apoiadas pelo edital Prêmio Samba Junino - Ano II, promovido pela Prefeitura por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

A partir desta quinta-feira (13), acontece o Sambódromo Junino do Engenho – Santo Antônio, às 16h, no Parque Solar Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas. O desfile reunirá os grupos Samba Chile, Samba da Bruxa, Samba Negro, Samba Os Abraões e Samba Leva Eu. No palco, tem Samba da Biqueira, Miller (Grupo Paparicco), Wellington (Samba Comunidade) e Bobo (Viola de Marujo).

Além de muita música, a programação conta com a reza para o Santo Antônio e brincadeiras juninas com brindes para crianças. Responsável pelo projeto, a professora e presidente do grupo Leva Eu, Maria Célia Silva, de 47 anos, ressalta a importância do apoio. “Nos permitiu recursos para realizar as atividades juninas, desenvolver ensaios e mostrar os novos sambas que ainda não têm muita divulgação. No próximo dia 16, teremos um grande ensaio para a realização do Arraiá Arrastão, que acontece no dia 24. Isso tudo pode ser feito graças ao recurso do edital” conta.

Percussionista e vocalista da grupo Samba Negro, Augusto Cesar Pereira, 38 anos, destaca que projetos como esse são uma forma de mostrar a cultura do samba. “É uma oportunidade que surgiu para que possamos mostrar o trabalho do samba de roda e de como essa cultura é importante”, disse. “A logística do evento está muito legal, inovadora. Vai ser muito bacana, a comunidade aprovou. Eu recebo mensagem das pessoas querendo saber mais detalhes. É muito gratificante”, pontua.

Federação - Já no Engenho Velho da Federação, é a vez do Samba Santo Amaro promover os cortejos juninos no próximo domingo (16), das 16h às 21h, e no dia 7 de julho, das 13h às 18h, na Rua Santo Amaro. À frente do projeto está o compositor e percussionista Nem Cardoso, que participou ativamente dos grupos de samba juninos nas décadas de 1980 e 1990 em Salvador, além de ser conhecido por sucessos como "Toque de Timbaleiro".

Além das apresentações musicais, o projeto "Samba Santo Amaro preservando o samba junino" também engloba ensaios e oficina. A intenção é fortalecer o resgate e a preservação da cultura e do movimento cultural na cidade.

Alto das Pombas - No Alto das Pombas, também acontece o Arrastão Vai Kem Ké no próximo domingo (16), com concentração às 14h, no fim de linha do bairro. Idealizado pelo compositor, maestro e multi-instrumentista Augusto Conceição, o Samba do Vai Kem Ké propõe o resgate cultural do samba da Bahia, valorizando o ritmo do samba duro e do samba de roda, além dos sambas de caboclo, cirandas e cantigas de domínio público.

Segundo ano – Lançada em janeiro deste ano, a segunda edição do Prêmio Samba Junino contemplou nove propostas, voltadas à salvaguarda do patrimônio cultural da cidade, de acordo às diretrizes de política cultural do município e do registro especial do Samba Junino.

O objetivo é incentivar e fortalecer a manutenção e dinamização do samba junino na cidade, além das formas de produção e reprodução, através da realização de ensaios, festivais, concursos, apresentações, “arrastões”, oficinas, produção de material multimídia (CD, DVD, jogos, aplicativos, conteúdo audiovisual), publicações, entre outras, no período junino. O investimento total foi de R$180 mil – sendo R$20 mil para cada projeto selecionado.

0
0
0
s2sdefault