Sábado , 23 Março 2019
0
0
0
s2sdefault

Residente da Morada da Lagoa, localidade de Valéria, há 25 anos, o mestre de capoeira Gilmar dos Santos, conhecido como “Pituba”, sequer consegue encontrar palavras para definir a importância do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) para comunidade. “Nem sei que palavra usar. Não tem nem como avaliar de tão bom que é”, diz ele, emocionado. A entrega do espaço multiuso foi feita pelo prefeito ACM Neto, ministro da Cultura (MinC), Sérgio Sá Leitão, e pelo secretário de Infraestrutura Cultural interino do ministério, Paulo Nakamura, nesta quinta-feira (20), na Rua B, Caminho 13, Conjunto Lagoa da Paixão.

Líder comunitário e responsável por um dos projetos sociais da região, ele conta que sempre deu aulas de capoeira na rua. “Agora teremos o CEU, com toda a estrutura que merecemos. Para nós, é um presente. As crianças, adolescente e até os adultos precisam muito desse espaço. Antigamente, só tínhamos as escolas para as crianças estudarem, agora temos um local para esporte, lazer e divertimento. Só temos a agradecer”, comenta. A nova estrutura de esporte, lazer, cultura e ação social agrega um ginásio coberto, com capacidade para 200 pessoas, pista de skate, cine-teatro, biblioteca e um Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Enquanto Gilmar não acha palavras, o professor de Jiu-jitsu e morador da Lagoa da Paixão, Délio Lima, define de forma poética o significado do espaço para moradores da localidade. “O CEU é verdadeiramente o céu para nosso povo”. Integrante do grupo gestor do Centro, ele salienta que a construção da estrutura resgatou a autoestima da comunidade. “Isso aqui era uma área morta, nada era desenvolvido. Agora temos vida”, conta. Segundo ele, pelo menos 12 localidades de Valéria serão atendidas no espaço, que deve receber, diariamente, 500 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos.

“Nos sentimos privilegiados. O primeiro espaço de Salvador está na nossa comunidade, na Lagoa da Paixão. O CEU traz uma estrutura que nós nunca pensávamos em ter. Nossa comunidade foi escolhida devido ao alto índice de vulnerabilidade. O impacto será enorme. Teremos melhoria na vida da comunidade, na vida das nossas famílias”, reforça.

Cultura, esporte e lazer - O espaço funciona de domingo a domingo. A área externa conta com quadra poliesportiva coberta, quadra de areia e equipamentos de ginástica. Além das atividades físicas, o local vai poder abrigar práticas culturais, oficinas de artesanato e cursos de qualificação profissional para a comunidade. No prédio principal funcionará também o Centro de Referência da Assistência Social (Cras), composto por sala de atendimento, espaço multiuso, coordenação, copa, sanitário e recepção.

O equipamento conta ainda com um Espaço Cultural Boca de Brasa, um teatro com 125 lugares e a Biblioteca Nair Goulart, sob responsabilidade da Fundação Gregório de Mattos (FGM). “Não tínhamos nada de cultura aqui na comunidade, é incrível ter acesso ao teatro, ao cinema. É, verdadeiramente, o céu. O que falta nas comunidades carentes são oportunidades, sempre falo isso. O CEU vem para trazer isso. As crianças e adolescentes agora não precisam mais sair daqui, vão poder se capacitar, praticar esporte aqui mesmo. É um sonho”, finaliza o professor de Jiu-jitsu.

0
0
0
s2sdefault