Terça-Feira , 18 Dezembro 2018
0
0
0
s2sdefault

Com slogan #umgestodeamor, a Secretaria Municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) lançou a campanha Outubro Rosa, no auditório do Parque Social, no Parque da Cidade, nesta quarta-feira (10). As 100 pessoas presentes puderem ouvir depoimentos de mulheres que venceram o câncer de mama. A iniciativa se soma a outras realizadas durante todo esse mês e que tem o intuito de alertar e conscientizar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. A ação contou ainda com a parceria do Núcleo de Oncologia da Bahia e do Instituto Vencendo o Câncer. 

Ao apresentar a campanha, a secretária da SPMJ, Cristina Argiles, fez questão de destacar que embora o mês simbólico seja o outubro, as mulheres devem estar atentas durante todo ano. “Muitas não fazem o autoexame, outras não sequer se submetem a mamografia anualmente. É preciso examinar o corpo e fazer dos procedimentos regularmente”, disse ela, lembrando que a rede municipal de saúde disponibiliza tanto a mamografia como a ultrassonografia, exames fundamentais para detecção da patologia. 

Graças à descoberta em fase inicial, a professora Dejanira Souza, 46 anos, conseguiu se curar da doença diagnosticada em 2011. Emocionada, fez questão de descrever o drama vivido por dois anos, período em que se submeteu uma cirurgia, 21 sessões de quimioterapia e 33 de radioterapia. “Foi sofrido, achei que morreria. Foram cinco anos tomando remédio e hoje posso dizer que existe vida após o câncer”, afirmou.   

Sofrimento semelhante passou a auxiliar de serviços gerais, Maria da Conceição, 49 anos. Há 10 anos foi surpreendida pela notícia da doença que resultou na retirada total da mama esquerda. “Vivi o pior momento da minha vida. Não precisei de rádio nem quimio, mas retirar o seio foi horrível. Nunca deixei de ter fé e acreditar”, relatou. O depoimento foi encerrado com o sorriso de quem há um ano conseguiu fazer a cirurgia de reconstituição total do seio. 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), na Bahia são esperados 27,4 mil casos de câncer neste ano. Desse total, o de mama é o segundo de maior prevalência, com a projeção de 2.870 casos. Além de pontuar a importância do autoexame e da realização da mamografia anual, após os 40 anos, a oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia, Renata Cangussu, fez questão de esclarecer que 90% dos casos podem ser evitados. Segundo ela, a prática de atividade física, adoção de uma alimentação saudável e o controle do peso são hábitos de vida importantes que podem afastar o aparecimento do câncer de mama.

0
0
0
s2sdefault