Quinta-Feira , 19 Julho 2018
0
0
0
s2sdefault

Reivindicação antiga na capital baiana, os abrigos em pontos de ônibus já são uma realidade em quase toda cidade. A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), instalou nesta semana o abrigo de número 1,3 mil. Atualmente, Salvador conta com 3.342 pontos de ônibus - destes, 2,9 mil são cobertos. A previsão é que mais 200 estruturas sejam montadas até o final do ano.

A pasta explica que existem dois tipos de abrigos, sendo um deles os equipamentos em vidro, que são de responsabilidade das empresas Cemusa e JCDecaux, vencedoras da licitação de 2000, com validade de 20 anos. As outras são coberturas azuis feitas em chapas galvanizadas, fabricadas pela Secretaria Municipal de Manutenção (Seman). Essas últimas, mais econômicas, podem ser modificadas com mais facilidade, viabilizando a manutenção realizada pela Semob em locais com espaços limitados.

A Semob destaca que, para implantação da estrutura dos abrigos, é preciso uma área de 5x2,8 metros. No entanto, há locais inviáveis tecnicamente para implantação de abrigo, a exemplo de pontos de ônibus localizados em calçadas curtas, em estabelecimentos comerciais, residências ou que tenham estacionamentos em frente ou, simplesmente, sem calçadas. Dos 442 pontos que estão sem abrigos, 70% não possuem área para instalação do equipamento.

Fala Salvador - A Prefeitura dispõe de um canal de comunicação direto com a população para denúncias, por meio do Fala Salvador, no número 156. Segundo a Semob, em média 100 abrigos são vandalizados por ano, o que gera um custo em torno de R$300 mil aos cofres públicos. Qualquer cidadão que verifique um abrigo sendo usado indevidamente como, por exemplo, com ambulantes, pessoas em situação de rua, utilização comercial não autorizada, publicidade irregular, vandalismo ou depredação, deve fazer a denúncia.

0
0
0
s2sdefault