Segunda-Feira , 22 Outubro 2018
0
0
0
s2sdefault

Pesquisa do Ibope revela que população ainda precisa se conscientizar mais sobre a importância da reciclagem  

Na esteira da semana de comemorações em função da passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado ontem (05), uma das ações mais lembradas é o descarte e reaproveitamento de materiais recicláveis. Em Salvador, o volume desse tipo de material é de 360 toneladas anuais. Ainda não é o ideal, como revela uma pesquisa nacional divulgada nesta terça (05) pelo Ibope, apontando que 76% dos entrevistados ignoram a separação do lixo para reaproveitamento futuro.  

Apesar disso, em 22 anos de atuação no ramo da reciclagem de resíduos sólidos na capital baiana, Edson Cabral considera os últimos quatro como os que mais exigiram esforço e lhe trouxeram alegrias no setor. "O volume de coleta cresceu tanto que atualmente precisamos revezar os parceiros com os quais vamos captar os recicláveis em determinado período", informa.

Cabral preside a Coopcicla, uma das sete empresas que, em parceria com a Secretaria Municipal de Cidade Sustentável (Secis) e a Limpurb, realizam a coleta, triagem e encaminhamento deste tipo de material na cidade. Em Salvador, o Programa de Coleta Seletiva funciona desde 2015 e é comandado pela Secis. 

Operação - O volume captado mensalmente pelas cooperativas chega a 30 toneladas, apenas do que é depositado pelos soteropolitanos nos 93 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) espalhados em 42 localidades de Salvador, como Jardim das Margaridas, Boca do Rio, Imbuí, Cabula VI, Narandiba, Pernambués, Cabula, São Caetano, Santa Mônica, Alto do Cabrito, Rio Sena, Cajazeiras V, Retiro e Periperi. 

As cooperativas recebem da Prefeitura o material depositado nos PEVs, que são transportados até as unidades parceiras em três caminhões destinados especificamente para este fim. "Mensalmente, as cooperativas recebem cerca de 30 toneladas de resíduos recicláveis. A frequência diária das entregues ocorre conforme a demanda de cada cooperativa e a disponibilidade para receber determinada quantidade naquele dia", explica o subsecretário da Secis, João Resch. 

Triagem - Os PEVs são confeccionados em material plástico de alta resistência e contam com capacidade de acondicionar até 2,5 m³ (metros cúbicos) de resíduos sólidos. A recomendação da Prefeitura é que a população deposite nos contêineres somente o material limpo, de forma a evitar a incidência de insetos. 

Em posse dos cooperados, materiais como papelão, papel branco, garrafas de vidro e PET, além de latas de alumínio, passam por triagem, prensa e estoque antes de serem enviados para empresas que vão transformar a matéria-prima em um produto final ou intermediário para outras etapas industriais, como fábricas de papéis, produtos plásticos, têxteis, dentre outras. 

Ecoponto - Além dos PEVs, a Prefeitura, através da Limpurb, também instalou um Ecoponto, localizado na Rua Wanderley Pinho, no Itaigara, que recebe materiais recicláveis. A cooperativa Catadores de Nova República é que faz a coleta no Ecoponto duas vezes por semana.

0
0
0
s2sdefault