Quarta-Feira , 19 Setembro 2018
0
0
0
s2sdefault

Bolo, vestido de noiva, maquiagem, música instrumental e um ambiente harmonioso compuseram o cenário do casamento coletivo promovido pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). Ao todo, 62 casais realizaram o sonho do matrimônio no Empresarial Hangar, na Avenida Luís Viana (Paralela), nesta quarta-feira (28). Outros nove casais também se casaram na Ilha de Bom Jesus dos Passos. Produzidas especialmente para o momento, as noivas se emocionaram no momento esperado do sim, seguido da troca das alianças e do beijo.

“Para mim, esse momento representa a oficialização da união entre duas pessoas que se amam”, disse Anne Caroline Amaral, de 22 anos, que sentiu o coração pulsar acelerado ao realizar a marcha nupcial. Ela e o noivo Vanilson José Oliveira, 23, se conheceram ainda crianças, durante o Ensino Fundamental e, desde então, não mais se separaram. “Eu a amo muito. No início tivemos que enfrentar a rejeição da família, a distância, mas o importante é que deu tudo certo e hoje estamos apenas tornando oficial o nosso amor”, afirmou Vanilson.

Primeiros a entrar no salão, o aposentado Francisco Santana, 72, e Noêmia Santana, 65, também concretizaram um desejo antigo. “Eu sempre quis muito casar com ele, até que consegui concluir o divórcio com o antigo companheiro, ao mesmo tempo em que surgiu essa grande oportunidade. Para mim é uma vitória”, contou Noêmia, que em dezembro teve a felicidade de ver a filha Paula Santana, 39, efetivar o matrimônio, durante a primeira edição do Casamento Coletivo, em Amaralina.

Presente na cerimônia, a titular da Semps, Tia Eron, ressaltou a importância do ato. “É uma política de fortalecimento de vínculos, proposta inclusive da proteção básica que nós disponibilizamos a partir desse grande núcleo constituído pelos Centros de Referência da Assistência Social (Cras). Eu fiquei muito tocada com esses casamentos coletivos, especialmente com os que ocorreram também em Bom Jesus dos Passos, marcados pelo encontro de gerações e pela alegria dos moradores em realizar um sonho. Foi muito mágico”, contou.

Para a subsecretária da Semps, Lilian Almeida, a partir dessa iniciativa, o órgão demonstra que a Assistência Social não se constrói apenas com medidas assistencialistas, mas com a valorização da dignidade a partir da concessão de direitos e da realização de sonhos. “Os casamentos também são importantes para fortalecer os vínculos familiares. A família é a célula máster do convívio social, é um dos elementos responsáveis pela formação do indivíduo e ajuda a afastar jovens e adolescentes da criminalidade e da violência”, lembrou.

O casamento coletivo contou com a parceria do Tribunal de Justiça da Bahia, do Hangar Busines Park, além do apoio da G&P, CHR Telecom, Drogaria Cião, LK Gráfica Digital, Novotel Hotels e Resorts Ibis, do Cartório Hangar, da Agência Adventista de Recursos Assistenciais e do Agente de Direito da Criança e do Adolescente do Estado da Bahia (ADCAEB).

Todos os casais foram referenciados pelos Cras que, por meio do Programa de Atendimento Integral às Famílias (Paif), viabilizou a oficialização da união em parceria com o TJ-BA. Noivos e noivas foram isentos de todas as taxas cobradas pelo casamento. Por meio do apoio do ADCAEB, 35 noivas receberam um toque especial de maquiagem pelas mãos de duas maquiadoras voluntárias. A parceria com o Novotel também possibilitou o sorteio de duas diárias para a lua de mel, uma para cada casal, no Hotel Ibis do Rio Vermelho.

Edição anterior – A primeira edição do casamento coletivo foi realizada em dezembro de 2017, no Quartel de Amaralina, momento em que 50 casais oficializaram a união em uma cerimônia civil e religiosa. A ideia, segundo Tia Eron, é que a iniciativa continue ocorrendo na cidade.

 

0
0
0
s2sdefault