Segunda-Feira , 19 Fevereiro 2018
0
0
0
s2sdefault


Subúrbio 360 dá um passo adiante quando o assunto é ensino e aprendizado


Imagina um lugar onde, no contraturno das aulas, é possível aprender brincando e utilizando ferramentas tecnológicas de ponta. Onde as crianças podem participar de oficinas de teatro e artes em geral, de diversas modalidades esportivas (do futsal ao karatê), de laboratórios de informática e até se aventurar no universo da comunicação tendo à disposição um estúdio de rádio com transmissão ao vivo pela internet.  Tudo isso com segurança, em uma estrutura multiuso com 10 mil metros quadrados de área construída, refeição, lanche e banho. Esse lugar existe, e não é uma escola privada. Trata-se do Subúrbio 360, um equipamento 100% público e gratuito inaugurado hoje (26) pela Prefeitura em Coutos, na Rua da Paz, no Subúrbio Ferroviário.

Situado numa região onde moram aproximadamente 400 mil pessoas, o Subúrbio 360, fruto de um investimento de R$30 milhões do município, está dividido em cinco módulos multiuso. No total, são 11 salas, sendo quatro para aulas da Escola Laboratório (Escolab), quatro para práticas esportivas e de dança e outras três para Centro Especial de Reabilitação (CER), que começa a funcionar em abril, gerido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

O equipamento conta ainda com duas quadras poliesportivas cobertas, um teatro com 400 lugares (que também se transforma em auditório) e uma cozinha industrial para cursos profissionalizantes (voltara para as mães dos alunos), além de refeitório, elevador e rampas para acessibilidade, casa de lixo e de gás, estacionamento e estruturas administrativas.

O Subúrbio 360 está sob a responsabilidade direta da Secretaria Municipal de Educação (Smed), mas outros órgãos municipais são parceiros, a exemplo das pastas de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel), de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e de Cultura e Turismo (Secult), através da Fundação Gregório de Matos (FGM). Entram também como parceiros o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Funcionamento – Cerca de 1,5 mil pessoas devem utilizar mensalmente a estrutura do Subúrbio 360, a maior parte crianças.  Desse total, 550 possuem entre 6 e 12 anos e vão estudar de segunda a sexta nas 22 turmas da Escolab (11 pela manhã e 11 pela tarde), das 8h às 17h. Essa é a terceira Escolab inaugurada pela Prefeitura, oferecendo, em parceria com o Google e a SmartLab, atividades educativas com a utilização de jogos de raciocínio lógico e linguagem, experimentações artísticas e científicas, tudo com o uso de tablets e até impressoras tridimensionais.

Esses 550 alunos frequentam a escola normal pela manhã ou pela tarde e, no contraturno, se dirigem à Escolab. Assim, têm educação em tempo integral e com acompanhamento pedagógico, aproveitando toda a estrutura oferecida pelo Subúrbio 360. Isso com direito a refeição, lanche e até banho para ir à escola ou quando chegarem à Escolab. Na matrícula, a direção do Subúrbio 360 está priorizando aqueles alunos que são das escolas municipais Graciliano Ramos, Álvaro Vasconcelos da Rocha, Professor Ítalo Gaudenzi e Fazenda Coutos, pois estão próximas do empreendimento. Mas se todas as vagas não forem preenchidas, estudantes de outras unidades poderão fazer a inscrição.

Vale lembrar, no entanto, que o Subúrbio 360 é maior do que a Escolab, e está a partir de hoje aberto para todos os estudantes e comunidade em geral a partir das 17h e até nos fins de semana. As duas quadras poliesportivas, por exemplo, estão abertas à comunidade mediante solicitação. Assim como as oficinas de teatro.

Teatro para 400 pessoas com oficinas

Na parte cultural e artística, o Subúrbio 360 conta com a realização de diversas oficinas do projeto Boca de Brasa, disponibilizadas para os alunos e para a comunidade local nos finais de semana, com início nas sextas-feiras e encerramento aos domingos. A estrutura conta com um teatro equipado com som e luz, 400 lugares na plateia e camarins. O mesmo teatro vira auditório, quando necessário. Além disso, duas salas serão utilizadas para o desenvolvimento de atividades artísticas e culturais.

Grupos locais ocuparão o espaço e disponibilizarão aulas de audiovisual, produção cultural, dança de rua e teatro. A programação completa está sendo definida pela Fundação Gregório de Mattos (FGM). Após o período de laboratório, os alunos apresentarão tudo que aprenderam no palco do teatro ou em espaços abertos do Subúrbio 360, oportunidade em que poderão mostrar o desempenho pessoal e do grupo para diversas pessoas. Além disso, o equipamento estará à disposição de toda a cidade para apresentações de outros grupos de fora do Subúrbio 360.

Hoje, dia da inauguração do Subúrbio 360, o Boca de Brasa deu uma amostra do que será desenvolvido no local aos fins de semana. Durante toda o dia, dez intervenções levaram cultura e arte para o público presente. O público participou ainda de uma Oficina de Grafite e da exposição Memórias Afetivas do Subúrbio Ferroviário de Salvador, composta por discos, fotografias, manuscritos, tijolos, azulejos, porcelanas antigas, quadros e esculturas, dentre outros objetos.

APAE terá Centro de Reabilitação

Inovação, arte, cultura, esporte e educação fazem parte do Subúrbio 360, mas há ainda espaço para oferta de serviços de saúde, com a instalação de um Centro Especial de Reabilitação (CER). O espaço, que faz parte das atividades da Associação de Pais e


Amigos dos Excepcionais (APAE), será um equipamento de saúde integrado à Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, que foi instituída pela Portaria nº 793/GM/MS, de 24 de abril de 2012. Serão atendidos 400 jovens com deficiências - física e intelectual - por mês e o centro deverá começar a funcionar em abril.

Serão atendidos jovens com sequelas de traumas e de acidente vascular encefálico; lesão medular; amputações; traumatismo cranioencefálico; doenças neuromusculares; paralisia cerebral; síndromes genéticas que comprometam o aparelho locomotor; mielomeningocele; malformações congênitas; paralisia infantil; e neuropatias. A estrutura será adaptada também atendimentos a pessoas com deficiência intelectual leve, moderada e Transtornos do Espectro Autista.

O objetivo é ampliar o acesso e a qualidade dos serviços de reabilitação no âmbito do SUS, cobrindo o vazio assistencial na região do Subúrbio. O CER terá quatro salas. As atividades serão realizadas de segunda a sexta-feira, em horário administrativo, com capacidade para 200 pessoas com deficiência física e outras 200 com deficiência intelectual e autismo. A estrutura passará por uma ampla reforma para adaptá-la às necessidades do serviço e pacientes.

A meta é ampliar o acesso, qualificar o atendimento, articular e integrar os serviços de saúde e também educação de forma a garantir a integralidade do cuidado às pessoas com deficiências temporárias ou permanentes (adultos e crianças). As atividades serão desempenhadas para promover o desenvolvimento de habilidades funcionais (física e intelectual) das pessoas com deficiência e autismo para promover sua autonomia e independência. O projeto prevê ainda a articulação juntos às escolas para que estes jovens tenham inserção nas instituições de ensino.

Também haverá dispensação de órtese e prótese, cadeiras de rodas infantil e adulto, cadeira de banho, bengalas, coletes, muletas, bolsa de colostomia (coletora de fezes), dentre outros. O diagnóstico, avaliação, orientação e a estimulação precoce dos usuários será de responsabilidade de uma equipe multiprofissional composta por Neurologista, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Fonoaudiólogos, Médicos, Psicólogos, Assistentes Sociais e Enfermeiros.

A equipe do CER, em conjunto com o usuário, familiares e acompanhantes, desenvolverá ações de reabilitação de maior ou menor intensidade e frequência, conforme a necessidade de cada caso. O atendimento pode ser individual, em grupo e em oficinas terapêuticas. Busca-se também a estimulação precoce de crianças com distúrbios do desenvolvimento neuropsicomotor, almejando intervir o mais cedo possível na aquisição e desenvolvimento das habilidades motoras, sensoriais, cognitivas e sociais.

Aulas profissionalizantes de gastronomia

O Subúrbio 360 contará com um projeto inédito: uma cozinha industrial para capacitar mulheres em cursos profissionalizantes gratuitos de confeitaria e gastronomia. As aulas serão oferecidas por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-BA).

O diferencial do projeto é que ele atenderá às mães dos estudantes dos anos iniciais da Educação Básica, matriculados no local no contraturno às aulas normais. Todo o alimento produzido durante os cursos serão utilizados para a merenda dos alunos. Ao todo, serão atendidas 22 pessoas por curso, nos turnos matutino e vespertino. A capacitação será oferecida para mulheres com idade superior a 18 anos, sendo que o ideal é que sejam pessoas das comunidades do entorno. Fruto de parceria com o Senai, cujo contrato tem validade de um ano, os cursos disponibilizados serão de produção de salgados e folhados, panificação básica, confeitaria básica e pães especiais de massa doce ou salgada. As aulas terão início no dia 20 de fevereiro. Ao final, será entregue um certificado e, com o aprendizado do curso, as aprovadas poderão abrir o próprio negócio, inclusive como microempreendedoras individuais. 

Do futsal ao karatê

Futsal, basquete, handebol e voleibol. Essas são algumas das modalidades esportivas que serão disponibilizadas para os alunos do Subúrbio 360, em complemento à educação formal. No local, serão 22 turmas (11 pela manhã e 11 pela tarde), com duração de 30 minutos para cada prática esportiva, atendendo crianças com idades entre 6 e 12 anos. Toda a programação ocorrerá em duas quadras poliesportivas cobertas, com área de cerca de 520 metros quadrados cada, e dotados de traves de futsal, tabela de basquete e rede para voleibol.

A responsabilidade pelas práticas esportivas no Subúrbio 360 é da Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel). Entre as quadras poliesportivas há duas salas onde, em breve, serão oferecidas atividades físicas para a comunidade em geral, como karatê, capoeira, ginástica rítmica e ginástica. O cronograma das aulas está sendo preparado pela Semtel. Para os pequenos, os conteúdos programáticos foram planejados levando em consideração as faixas etárias.

 

Quem tem até 10 anos terá acesso a jogos com um aspecto lúdico acentuado, por se tratar do primeiro contato entre a criança e a modalidade esportiva. A partir dos 10 anos, entra em jogo o primeiro contato com as regras, mas sem nenhuma rigidez. Com idades entre 12 e 16, na fase da pré-adolescência (naquelas atividades abertas para toda a comunidade), as regras são efetivamente aplicadas.

0
0
0
s2sdefault