Segunda-Feira , 18 Dezembro 2017

 

Nos últimos quatro anos, os quatro ascensores responsáveis pelo transporte entre as cidades Baixa e Alta de Salvador - Elevador Lacerda e planos Liberdade/Calçada, Gonçalves e Pilar - já conduziram 6,7 milhões de usuários. Além do traslado, os equipamentos administrados pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), agregam também a função de oxigenar o comércio nestes dois pontos.

 

"A dupla funcionalidade está bem definida: os planos e o Elevador Lacerda se tornaram mais que pontos de acesso turístico. Hoje, eles fazem fluir o tráfego de pessoas de um ponto a outro, economizando em até 30 minutos o tempo de deslocamento de turistas e de soteropolitanos que utilizam os equipamentos para trabalho e lazer, dentre outras inúmeras utilidades", destaca o titular da Semob, Fábio Mota.

 

Para o gestor, ao longo do tempo a população soube adaptar o uso dos equipamentos ao seu próprio modo de vida. "O Plano Inclinado Liberdade/Calçada atende bem àqueles que buscam produtos mais em conta nas feiras livres ou comerciantes na região da Cidade Baixa, tornando o comércio local mais movimentado. Já o Elevador Lacerda tem uma função mais turística, apesar de ser bastante utilizado por estudantes, ciclistas e trabalhadores durante todo o dia. Da mesma forma, os planos Pilar e Gonçalves são responsáveis pela ativação do comércio no entorno, possibilitando que moradores e profissionais que atuam nas proximidades possam realizar um deslocamento mais rápido e mais barato, já que o acesso custa R$ 0,15", conclui Mota.

 

"Esses equipamentos são indispensáveis à mobilidade do soteropolitano e facilitam o acesso da população que precisa trafegar entre os dois níveis da cidade, que cresceu paralela à praia e se esqueceu, em muitos pontos, dos acessos perpendiculares à orla. Entretanto, a cidade precisa de novos ascensores em outros pontos da capital, visto que seriam de grande valia à acessibilidade em locais elevados como Cabula, Brotas e São Caetano, por exemplo. Dessa forma, facilita-se ainda a comunicação entre os principais pontos de concentração da população", explica o arquiteto Ernesto de Carvalho, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia (CAU-BA).

 

Números – Com registro de cerca de 10 mil passageiros por dia, o Plano Inclinado Gonçalves opera de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 7h às 13h, sendo um dos mais importantes meios de ligação entre a Praça da Sé e o Comércio. O equipamento esteve fora de funcionamento por dois anos e oito meses, por conta de uma reforma geral, com obras de infraestrutura e troca de maquinário. A reforma teve investimento de R$ 1,4 milhão.

 

Totalmente modernizado em 2014, o Plano Inclinado Liberdade/Calçada ficou paralisado por dois anos e meio devido ao desgaste e ações de vandalismo. Cerca de 10 mil passageiros usam o plano diariamente, entre 6h e 19h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados das 6h às 18h.

 

Reformado em 2015, o Plano Inclinado do Pilar responde pelo traslado de aproximadamente 600 usuários diariamente, ligando a Rua do Pilar, na Cidade Baixa, ao bairro de Santo Antônio Além do Carmo. Construído em 1897, o equipamento contou com a modernização dos sistemas de motores, implantação de sistema de segurança com limitador de velocidade, dispositivo anticapotamento, freios de emergência dos bondinhos e conserto do elevador para deficiente, facilitando o acesso aos bondes.

 

Um dos mais importantes cartões-postais de Salvador, o Elevador Lacerda liga a Praça Cairu, no Comércio, à Praça Municipal, e transporta diariamente cerca de 15 mil pessoas. O funcionamento é de 6h às 23h, de segunda a sexta-feira, e das 6h às 22h, aos sábados e domingos.