Domingo , 19 Novembro 2017

Administrar uma cidade do tamanho de Salvador seria impossível sem a ajuda de profissionais que, diariamente, exercem suas competências em serviços essenciais para a população, como educação, saúde, cultura, segurança, tecnologia, infraestrutura, ordenamento e mobilidade. No Dia do Servidor Público, celebrado neste sábado (28), a Prefeitura de Salvador conta a história de dois servidores esforçados que, apesar de ter dedicado uma vida às atividades do cargo, conservam o mesmo empenho, brilho no olhar e vontade de continuar de anos atrás.  

Há 36 anos, o servidor municipal Eugênio Domingos de Souza Neto, 61, tem se dedicado à capital baiana. Formado em Educação Física pela Universidade Católica, Eugênio trabalhou como salva-vidas por 12 anos na Coordenadoria de Salvamento Marítimo (Salvamar), órgão vinculado à Secretaria de Ordem Pública (Semop), e atualmente é responsável pelo atendimento e distribuição de lonas plásticas a moradores de áreas de risco na Defesa Civil (Codesal). 

Relembrando e comparando as atividades exercidas neste período na casa, o servidor destaca que os órgãos possuem caráter operacional e emergencial. O fato de fazer bem ao próximo o deixa orgulhoso e honrado. “Aqui na Codesal, de forma direta ou indireta, a gente contribui para integridade e segurança de muitas pessoas. Na época de Salvamar, então, era muito gratificante porque a gente arriscava a nossa vida para tentar salvar a vida do outro”, afirmou.

Fazendo um balanço de todos os anos em que integra a equipe de trabalho do executivo municipal, Eugênio afirma que os colaboradores já tiveram muitos avanços e se sentem confiantes por possíveis conquistas para os próximos anos. “Considero que a gestão valoriza o servidor, mas ainda há muito a se fazer”, pontuou.  

Apesar de já possuir os requisitos necessários para se aposentar - idade e tempo de serviço -, o colaborador considera que ainda não é o momento de se afastar do serviço municipal. "Pretendo continuar por mais uns cinco anos porque eu gosto da atividade. Me sinto útil, importante e gratificado. Essa experiência dos atendimentos é legal porque as pessoas que nos procuram moram em bairros mais periféricos, não têm padrão financeiro elevado e eu acho muito bom poder atender tentando passar uma palavra de conforto e confiança. De alguma forma, pela experiência de vida que tenho, tento contribuir para ajudar essas pessoas que nos procuram", enfatizou. 

Crescimento - Experiência no serviço público Márcia Duarte, 47, também tem de sobra. Ela entrou na Companhia de Governança Eletrônica (Cogel) aos 18 anos, como estagiária, e desde então, graças ao bom desempenho, não saiu mais. Hoje, como operadora de computador, uma de suas funções é realizar o processamento das folhas de pagamento de toda a Prefeitura, sobre a coordenação da Secretaria Municipal de Gestão (Semge). O processamento de folhas de pagamento de órgãos com muitos funcionários, como o da Secretaria de Educação, envolve cálculos longos de cerca de 4h.

Diante de tamanha responsabilidade, ela se empenha para desenvolver seu trabalho da melhor maneira possível, para que não haja erros. Ao falar do cargo, Márcia ressalta como um dos pontos positivos a flexibilidade de horário, que possibilitou a ela fazer uma segunda graduação. “Me formei em Educação Física e, graças à essa formação, hoje faço instrutória de Ginástica Laboral para os colegas do setor. O meu trabalho pagou a minha faculdade e a minha segunda habilidade”, conta.

Ela também recorda com carinho que por exercer um cargo na administração pública municipal, pôde amamentar a filha, Luana, de oito anos, por seis meses. “A legislação nos dá direito a amamentar por quatro meses, os outros dois meses são facultativos. A Cogel, por meio de acordo, concede aos servidores os seis meses. Foi especial poder curtir a minha família pelo período integral”, lembra.

Márcia avalia como característica peculiar da Prefeitura a mudança que cada gestão proporciona ao setor de trabalho. “Essa gestão, por exemplo, tem sido muito boa para o setor e para a população. A Cogel tem tido um destaque maior porque o prefeito (ACM Neto) tem investido muito em tecnologia, ampliando o número de câmeras pela cidade. Ele também reconhece o nosso trabalho e isso valoriza os funcionários”, finaliza ela, que apesar de estar prestes a completar o tempo de serviço necessário para se aposentar, também pretende continuar trabalhando mais um pouco.