Sábado , 19 Agosto 2017

 

A mobilidade da população de Salvador se tornará ainda mais ágil e eficiente com a reestruturação do sistema de transporte da cidade, a ser iniciada pela Prefeitura a partir desta quinta-feira (10), com a integração total das 530 linhas de ônibus ao metrô. Os detalhes da iniciativa foram divulgados em coletiva realizada nesta quarta-feira (9), no Palácio Thomé de Souza, pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário municipal de Mobilidade (Semob), Fábio Mota. Estiveram presentes também o vice-prefeito Bruno Reis, os secretários Luiz Carreira (Casa Civil) e João Roma (Gabinete), demais gestores municipais e autoridades.

 

Com isso, a partir desta quinta-feira, a população já poderá aproveitar a integração entre ônibus e as linhas 1 e 2 do metrô, pagando apenas uma passagem no intervalo de duas horas, por meio do Bilhete Único. Para isso, é necessário que o usuário utilize o SalvadorCard, nas modalidades Meia Passagem, Bilhete Avulso e Vale Transporte. Antes do anúncio de hoje, a integração com o metrô já contemplava mais de 45% das linhas de ônibus da cidade, estando disponível a cerca de 500 mil pessoas diariamente. 

 

De acordo com o prefeito, a iniciativa de integração total dos ônibus com o metrô segue o dever da Prefeitura de enxergar o sistema de transporte em Salvador como único. Ele lembrou que, na época da construção do entendimento com os governos federal e estadual para a viabilização do metrô, já era considerado o fato de que os modais funcionassem de forma complementar. Até que o estudo sobre a integração esteja concluído, a atual tarifa de R$3,60 entre os dois modais será dividida da seguinte maneira: R$1,42 será destinada às concessionárias de ônibus e o restante à empresa que administra o metrô.

 

“A tarifa foi realmente um dos problemas. Havíamos estabelecido como premissa que qualquer solução para esse impasse não poderia passar pela ideia de encarecer a tarifa e teria que garantir à população que, com uma mesma passagem, pudesse utilizar o ônibus e o metrô. A partir do momento que assinamos a racionalização do sistema e redesenho das linhas, entendemos que a medida vai permitir, ao longo desse tempo, até que os estudos sejam concluídos, que a remuneração seja feita dessa forma. A Prefeitura precisava tomar essa decisão, independente do benefício que o estado venha a conceder, para superar o impasse”, explicou ACM Neto.

 

Reestruturação – Com a integração total do ônibus com o metrô, a Prefeitura, por meio da Semob, vai promover também a reestruturação das linhas de ônibus. A iniciativa tem como intuito a racionalização de todo o sistema, com ganho de tempo para os cidadãos e aumento da produtividade das empresas. O objetivo maior é melhorar a vida da população, que gastará menos tempo tanto na espera do transporte quanto no deslocamento.

 

O processo será feito de forma progressiva, em quatro fases e após grande discussão com os cidadãos. A primeira fase contempla a transformação da Estação Acesso Norte – onde é feita a integração entre as linhas 1 e 2 do metrô – em equipamento de transbordo nos moldes da Estação Pirajá, o que envolverá 77 linhas e 32 bairros. Dentre eles estão Alto do Peru, Engomadeira, Sussuarana, Santa Mônica e Stiep.

 

Já a segunda fase envolve a Estação Pirajá, com readequação de linhas que fazem o mesmo percurso, extinguindo aquelas que possuem baixa frequência de viagens. Além disso, haverá reforço na frota de linhas em corredores importantes, com melhora significativa da frequência de viagens, considerando a linha 1 do metrô. A medida envolverá 41 linhas e 29 bairros, a exemplo de Valéria, Cajazeiras, Engenho Velho de Brotas e Pau da Lima.

 

A terceira fase envolverá a adequação de 25 linhas em 13 bairros, dentre eles a Ribeira, Uruguai, Vila Rui Barbosa, Pituba e Boca do Rio. Por fim, a quarta fase terá alteração das linhas que atendem às regiões da Liberdade, Subúrbio, Campinas de Pirajá, Estrada Velha do Aeroporto, Mussurunga, Aeroporto e Orla Norte. A medida permitirá a melhora significativa da frequência de viagens, considerando a linha 2 do metrô. No total, serão envolvidas 63 linhas e 37 bairros, incluindo Caixa D’Água, Conjunto Pirajá, Canabrava e Cassange.

 

Discussões e resultados – De acordo com o secretário Fábio Mota, toda a ação de reestruturação das linhas tem como base estudos feitos por técnicos municipais e de empresas de consultoria. “A partir de agora, serão feitas as consultas sociais, oportunidade em que serão levadas aos bairros as propostas para intensa discussão, apresentando os detalhes das linhas, mudanças e funcionamento. O resultado é o aumento da frequência das viagens em 50% nos horários de pico e redução em 40% dos tempos de espera e de viagem”, explicou.

 

Exemplos apresentados na coletiva demonstraram como deverá feita esta ação. Um deles é a Linha 1118 – São Gonçalo/Barroquinha, que possui extensão de 19km, com frota de dois veículos e tempos de percurso e espera de 63 minutos e 50 minutos, respectivamente. Com a reestruturação, deverá ser criado o ramal São Gonçalo/Acesso Norte, com continuidade da viagem via metrô ou ônibus e mesma frota de dois veículos. O percurso deverá cair para 8,5km, com apenas 14 minutos de espera e 21 minutos de viagem. Ou seja, o passageiro terá 69% de redução no tempo da viagem.

 

As ações realizadas no bairro de Marechal Rondon são consideradas de sucesso pela Semob. Antes a localidade era atendida pelas linhas Lapa e Barroquinha, com intervalo médio de 40 minutos, frota de três veículos cada e tempo médio de percurso de 70 minutos. A reestruturação fez com que as linhas fossem extintas e criada uma nova: Marechal Rondon/Estação Pirajá, com extensão de 13km, tempo de percurso de 18 minutos e intervalo de 11 minutos. Com quatro veículos, a frota faz conexão com as linhas 1 e 2 do metrô, além de outras linhas que circulam pela cidade, por meio da Estação Pirajá.

 

Avanços – Desde 2013, uma série de ações promovidas pela Prefeitura tem facilitado cada vez mais a mobilidade da população, refletindo na qualidade de vida dos cidadãos. A primeira delas foi a implantação do programa Domingo é Meia, que permite ao passageiro pagar apenas metade da tarifa de ônibus aos domingos. Foi implantado o Bilhete Único Integrado, que possibilitou o pagamento de apenas uma tarifa para dois transportes – metrô e/ou ônibus – pegos em um intervalo de duas horas.

 

Além disso, foi promovida a renovação e modernização da frota, com 1.200 ônibus novos e instalação de GPS e câmeras de segurança nos veículos, que passam a ter idade média de quatro anos. Também foram implantados o Centro de Controle Operacional (CCO), com monitoramento dos ônibus em tempo real; o aplicativo CittaMobi, que informa aos usuários o horário das linhas instantaneamente; e o serviço Conect Bus, executivo que percorre as principais vias da cidade com disponibilização de serviços como ar-condicionado e Wi-Fi.

 

Depois de anos em situação precária, a Estação da Lapa foi completamente requalificada após processo de Parceria Público-Privada (PPP), com investimento de mais de R$20 milhões. Estão inclusas ainda, na lista de melhorias, a instalação de mais de 800 abrigos em pontos de ônibus e a ampliação de três para 176 o número de postos do SalvadorCard.