Sexta-Feira , 20 Outubro 2017

 

Cerca de 240 ônibus - dos 2,6 mil que compõem a frota da capital baiana - são vistoriados mensalmente pela Prefeitura após passarem pelo procedimento de dedetização, incluindo a sondagem para verificar existência de insetos e roedores indesejáveis nos veículos. Essa vistoria ocorre mensalmente, embora a dedetização seja trimestral, como prevê a Lei 9.242/17, sancionada no final de julho pelo prefeito ACM Neto.

 

O procedimento visa garantir conforto, segurança e melhores condições de saúde para os usuários de ônibus da capital. Esta ação integra a vistoria de rotina realizada pelas empresas, fiscalizadas pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) e pela Superintendência de Trânsito (Transalvador). Caso seja identificada alguma irregularidade, a empresa é multada no ato e notificada para que o coletivo passe novamente pelo processo de dedetização.

 

A medida já era aplicada de forma institucional nos coletivos soteropolitanos, por determinação da Semob, desde que teve início a renovação da frota municipal. Por ocorrer sempre no período em que os ônibus estão na garagem, a ação não interfere no número de veículos disponibilizados diariamente para a população. Além disso, a aplicação do inseticida não oferece risco aos usuários, por acontecer no turno oposto à operação dos veículos.

 

"A dedetização trimestral já era exigida por contrato e é fiscalizada periodicamente pelos órgãos municipais. Além disso, a obrigatoriedade de reaplicação do produto a cada três meses não impede a punição da empresa caso sejam encontrados insetos e outros animais circulando nos coletivos da cidade", explica o secretário de Mobilidade (Semob), Fábio Mota.

 

 

Após a limpeza completa do coletivo por empresas de saúde ambiental, são emitidos certificados ou selos de dedetização, que deverão ser fixados nos veículos em local visível aos passageiros. Os adesivos devem conter a data de realização do procedimento, além de quando ocorreu ou ocorrerá sua repetição e o prazo de garantia.