Domingo , 19 Novembro 2017

 

Empreendimento integra o conjunto de investimentos do Programa Salvador 360, dentro do eixo Negócios

 

O Grupo GPA, do qual faz parte a bandeira Pão de Açúcar, vai abrir um supermercado em Salvador, no bairro do Costa Azul. Com um investimento de R$ 50 milhões – anunciado no Programa Salvador 360 –, a rede já deu início à construção da futura unidade. A expansão dos negócios do GPA - formado por Extra, Assaí, Casas Bahia e Pão de Açúcar - é também um esforço gestão municipal dentro do eixo Negócios do Salvador 360, com a perspectiva de movimentação da economia local, dinamizando a atividade do varejo, um dos setores que registra o maior crescimento no Brasil.

 

Há mais de um ano, representantes da Prefeitura dialogam com dirigentes da empresa sobre a importância de trazer mais um empreendimento para a capital baiana. Além do Pão de Açúcar, outros sete empreendimentos com atividade de supermercado solicitaram alvarás à Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo e Urbanismo (Sedur). O secretário da pasta, Guilherme Bellintani, destaca os ganhos da implantação dos outros empreendimentos. "Com isso, melhoramos o ambiente de negócios de Salvador, criando espaço e condições permissíveis para o crescimento econômico”, afirmou.

 

O diretor de Relações Institucionais do Grupo GPA, Paulo Pompilio, destaca as perspectivas positivas do grupo diante do novo cenário econômico da cidade. “A companhia está otimista que o Programa Salvador 360 auxiliará o empresariado a continuar investindo na cidade, beneficiando assim a população e reforçando o importante papel econômico e social que o município desempenha para o país. Dessa forma, estamos otimistas em anunciar que, motivados pelo sucesso da primeira loja Pão de Açúcar na cidade, aberta em 2016, inauguraremos a segunda loja na capital”, pontuou.

 

Ainda segundo o diretor do grupo, a unidade ficará pronta até o final deste ano e gerará aproximadamente 200 empregos diretos e indiretos. “Além desse benefício, a loja trará o conceito mais moderno para o Pão de Açúcar em supermercados, reforçado pelo layout e seleção de produtos e passando pelos pilares de sustentabilidade e de gastronomia, refletindo em diversos serviços disponíveis na loja. Dessa forma, apresentaremos a Salvador uma loja única e que atenderá as expectativas da população”, assegurou Pompilio, destacando confiança na atual gestão municipal.

 

O Salvador Negócios reúne um conjunto de ações voltadas para estimular investimentos, atrair e ampliar empresas e promover a geração de emprego. A iniciativa foi concebida de forma participativa, com envolvimento dos representantes dos segmentos econômicos para o entendimento das reais necessidades e estruturação das ações. Coordenado pela Sedur e Secretaria da Fazenda (Sefaz), com a participação de outros órgãos municipais e setores econômicos da cidade, o eixo possui mais de 30 ações voltadas para os setores com capacidade de gerar e absorver a força de trabalho local, com foco na aproximação do emprego da moradia e promoção da qualificação profissional.

 

As ações envolvem incentivos fiscais, projetos de qualificação profissional e a potencialização de setores estratégicos, tais como: construção civil, call center, turismo, varejo, têxtil, tecnologia e economia criativa. O setor de call center, por exemplo, um dos principais geradores de emprego para a cidade, que serve de porta de entrada para muitos jovens por não exigir experiência profissional para alguns cargos – contará com a redução de 5% para 2% de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). A medida é motivo de comemoração para a empresa Atento, que já encenou com mais uma central de atendimento na cidade, que vai gerar três mil novos empregos diretos ainda este ano.

 

Contexto – O Salvador Negócios enfrenta os desafios do atual cenário econômico nacional de forma a promover que Salvador tenha números mais positivos em relação aos de outras cidades do país. Hoje, o Produto Interno Bruto (PIB) da capital baiana é de R$ 56 bilhões, o que faz com que ocupe a 12ª posição nacional e a 2ª pior do Nordeste, em comparação a outras capitais. Em relação ao comércio exterior, movimenta R$930 bilhões, sendo, assim, a segunda maior corrente entre as capitais do Nordeste, ocupando a quarta colocação em exportação e o segundo lugar em importação. Em incentivos fiscais, está na 19ª posição, perdendo para cidades como Recife (PE), João Pessoa (PB) e São Luís (MA).

 

Já em índice de desemprego saltou da última para a 20ª posição dentre as 27 capitais. Na proporção entre grandes/médias e pequenas/médias empresas, Salvador ocupa a 6ª posição entre 32 cidades do ranking Endeavor Brasil (instituição de apoio ao empreendedorismo). O indicativo é considerado como uma oportunidade de avanço da cidade, considerando que empresas de grande e médio porte geram empregos qualitativos. Para 2017, já estão confirmados R$1,6 bilhão de investimentos implantados na capital baiana.

 

Incentivos fiscais – Em relação ao pacote de incentivos fiscais, foram definidas medidas de redução de alíquota do ISS para 2% e desconto do IPTU para setores vinculados à geração de novos empregos, redução temporária da outorga onerosa e parcelamento do pagamento de ITIV com foco no estímulo para a construção civil. Além disso, há incentivo para recuperação da indústria hoteleira e outras ações voltadas para a qualificação profissional e o estímulo ao empreendedorismo individual. Essas ações devem estimular e antecipar investimentos, incentivar a realização de novos projetos e promover a expansão de empresas que já atuam na cidade, gerando mais empregos.

 

Outro incentivo é a elaboração de novos editais do Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Sustentável e Inovação (PIDI), voltados para as áreas de turismo, tecnologia, mobilidade e economia criativa. O PIDI promove a geração de certificados de incentivos, de até 50% do valor do investimento, e que podem ser utilizados para promover instalação de empreendimentos. No total, as projeções dos incentivos dentro do Salvador Negócios foram estimadas em R$ 65 milhões, considerando os próximos três anos.