Terça-Feira , 28 Março 2017

A união de esforços entre as esferas pública e privada é uma importante estratégia – ou mesmo saída – para enfrentar as dificuldades provocadas pela forte crise econômica que atinge o Brasil, com foco em Salvador. Esse foi o clima do encontro que reuniu o prefeito ACM Neto, acompanhado de secretários municipais, e representantes de sindicatos patronais ligados à Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), no Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Senai/Cimatec), nesta sexta-feira (17), em Piatã. O evento serviu também para ouvir demandas e propostas do setor industrial para a capital baiana, além de conhecer as instalações do Senai/Cimatec – uma das unidades mais modernas em tecnologia no país.

A reunião foi aberta pelo presidente da Fieb, Ricardo Alban, e, na ocasião, foram assinados três protocolos de intenções entre a Prefeitura e o Senai/Cimatec para desenvolvimento de ações em áreas estratégicas em Salvador. Um deles diz respeito ao empreendedorismo e inovação, no intuito de contribuir para a promoção do desenvolvimento econômico e social, assim como na geração de empregos qualificados na cidade em cooperação com agentes locais, nacionais e internacionais.

O segundo protocolo tem como meta a implementação de cursos e programas de educação profissional. Com isso, pretende-se desenvolver ações relacionadas à capacitação, qualificação e treinamento profissional para jovens e adultos, estejam eles empregados ou não. Já o terceiro protocolo traz como foco o campo das Cidades Inteligentes, Saúde e Utilização de Energias Renováveis, com o propósito de potencializar ações tecnológicas para solução nas áreas de educação, transporte e gestão de água, lixo e energias renováveis, dentre outras.

ACM Neto ressaltou que a prefeitura possui como compromisso fazer avançar os protocolos de intenção, transformando-os em ações concretas para a capital baiana. Ele destacou que o desenvolvimento da cidade passa pela necessidade de ter profissionais mais capacitados; em dialogar com os setores econômico e social de forma sustentável, buscando meios de aumentar a empregabilidade; e investir em empreendedorismo e inovação tecnológica.

“Precisamos buscar o aumento dos níveis de produtividade. Temos que ultrapassar barreiras e tentar a diversificação econômica de forma sustentável na cidade. Além disso, Salvador precisa conhecer o que há de mais moderno e buscar ferramentas para estimular o empreendedorismo, incluindo o investimento em inovação tecnológica. Com isso, passaremos a ter outra perspectiva de cenário”, resumiu ACM Neto.

Avanços em Salvador – O prefeito aproveitou ainda para dar um breve panorama dos avanços ocorridos em Salvador desde 2013, principalmente em duas áreas: educação e cidades inteligentes. Na educação, o orçamento saltou nos últimos quatro anos de 22,5% para 28%. Além disso, Salvador saiu do último lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e avançou nove posições em relação às demais capitais. Foram implantados sistema pedagógico próprio dentro do projeto Nossa Rede; o programa Agentes da Educação, que conseguiu reduzir em 20% o índice de evasão escolar até o momento; e a implantação das Escolas-Laboratório (Escolab), inclusive em parceria com entidades como o Google, com uma já em funcionamento na Escola Municipal Cid Passos, em Coutos.  

No quesito cidades inteligentes, Salvador já iniciou os trabalhos no setor com a implantação do aplicativo de transporte CittaMobi, com mais de 900 mil usuários já utilizando a ferramenta. Na área de trânsito, foi implantado o Núcleo de Operação Assistida (NOA) da Transalvador, que ajuda a monitorar o trânsito da cidade. A próxima inovação, a ser anunciada em breve, será a implantação de conjuntos de semáforos inteligentes.

Na área de mobilidade, inclui-se o Centro de Controle de Operações (CCO), operado pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) e que acompanha o transporte coletivo de Salvador. Na Defesa Civil (Codesal), foram implantadas inovações como o Centro de Monitoramento da Defesa Civil (Cemadec), sistemas de alerta e alarme e sensores de acompanhamento de movimentação de terra em encostas – este último de maneira piloto e inédita no país.

Para o prefeito, tudo isso foi fruto de um conjunto de medidas necessárias e adotadas em Salvador a partir de 2013. “Salvador era inadimplente há quatro anos e hoje a situação é outra, por meio do esforço de ajuste fiscal que permite à cidade hoje remar contra a maré. Zeramos a dívida com a União e hoje comprometemos apenas 6% do orçamento municipal com dívidas que conseguiremos pagar. Com isso, podemos assinar financiamentos como o do primeiro trecho do BRT (Bus Rapid Transit) com o Ministério das Cidades, o do PMAT (Programa de Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos) com o BNDES, do Prodetur (Programas Regionais de Desenvolvimento do Turismo) com o Ministério do Turismo e o de requalificação da bacia do Mané Dendê com o BID”, finalizou.