Domingo , 15 Dezembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Mais uma importante estrutura de atendimento para crianças e jovens de Salvador foi entregue pela Prefeitura nesta quinta-feira (28), com as presenças do prefeito ACM Neto, da vice-prefeita Célia Sacramento, do secretário de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), Bruno Reis, e da presidente da Fundação Cidade-Mãe (FCM), Risalva Telles. A Unidade de Acolhimento Institucional 2 de Julho, no 2 de Julho, é a quarta desse tipo entregue pela atual administração desde 2013 e tem capacidade para atender a 20 jovens de oito a 18 anos que cumprem medidas socioeducativas. 2016-01-28 Prefeito-ACM-Neto Reinauguracao-Unidade-de-Acolhimento Gamboa Foto-Max-Haack Agecom 36--

O prefeito ACM Neto lembrou que um dos motivos para que os jovens sofram com a violência é a falta de políticas públicas que garantam os direitos das crianças e adolescentes. “O caminho não deve ser o da punição, e sim do acolhimento, de estender a mão para que esses jovens voltem a ter esperança e oportunidades no futuro”, pontuou. Ele ressaltou em seguida que as políticas sociais desenvolvidas pela Prefeitura, a exemplo da rede socioassistencial de crianças e adolescentes, da recuperação de campos e quadras e da parceria com clubes sociais para promoção de oficinas esportivas, se alia aos investimentos feitos em educação, a exemplo do programa Salvador Primeiro Passo, que beneficia neste momento 34 mil menores.

Administrada pela FCM, a estrutura tem como tema “Lixo, flor e arte” e foi decorada e pintada pelas próprias crianças e adolescentes que serão acolhidos pelo espaço, transferidos da Casa de Passagem localizada na Avenida Mário Leal Ferreira (Bonocô). Os jovens foram encaminhados pela Justiça e a maioria sofreu algum tipo de violência familiar ou tiveram seus direitos violados. A premissa do projeto é devolver autoconfiança, respeito, dignidade e cultura a esses menores.

O acolhimento institucional é provisório, e as crianças e adolescentes são acompanhadas por uma equipe especializada por pelo menos dois anos. Enquanto isso, as assistentes sociais tentam identificar suas famílias de origem e avaliam se há condições para que retornem ao seio familiar.

Além das quatro unidades de acolhimento institucional, a FCM também administra seis unidades de atenção básica, que atendem a quase três mil crianças e adolescentes de oito a 17 anos, moradores de bairros carentes. As estruturas de atenção básica estão localizadas em Canabrava, Saramandaia, Periperi, Engenho Velho de Brotas, Piatã (em parceria com a Associação Atlética Banco do Brasil) e Cajazeiras.

0
0
0
s2sdefault