Segunda-Feira , 24 Junho 2019
0
0
0
s2sdefault

A cada Carnaval, a Prefeitura aumenta o apoio aos tradicionais blocos afros. Só este ano, são 58 a desfilar pelos circuitos da folia. Com a volta da Rua Carlos Gomes como local de desfiles – rebatizado como Contrafluxo – essas entidades foram diretamente beneficiadas, pois podem mostrar um pouco mais da sua arte tanto para baianos quanto para turistas. filhos

 

Neste domingo (15), o primeiro bloco a sair da Rua Chile em direção ao Campo Grande foi o tradicional Filhos de Gandhy que, este ano, completa 66 anos de Carnaval. Em 2015, o tema é “Águas Sagradas”, lembrando as ligações religiosas ancestrais do Brasil com a África e a Índia.

 

Antes das 16h, os componentes do bloco formaram um imenso “tapete branco” nas ruas do Centro Histórico da capital baiana e colocaram os foliões para balançar ao som do seu ritmo inconfundível, o ijexá, além de perfumar o circuito com as já conhecidas alfazemas. Uma multidão acompanhou o trajeto do “tapete branco”.

 

O professor de educação física Cássio Magalhães levou filho Kauai, de apenas 10 meses, para curtir o bloco. “Trouxe ele para que, desde cedo, já possa entrar na tradição. É um bloco muito especial para mim. Sem o Gandhy, não há Carnaval”, disse.

 

Presidente dos Filhos de Gandhy, José Francisco Ferreira Lima enalteceu a ajuda cada vez maior da Prefeitura no fortalecimento das entidades. “O nosso afoxé tem uma linha, uma filosofia, uma história. Eu acho que essa homenagem que faz a Prefeitura de Salvador a nós e à Axé Music, um movimento que bebeu da nossa fonte, é um reinício para que possamos repensar e, talvez, recomeçar toda essa estrutura do Carnaval”, analisou.

 

Lima ainda comentou a volta da Carlos Gomes como palco do Carnaval baiano. “Ano passado pra gente foi complicado. Mas, esse ano, já facilitou muito. Vejo como uma iniciativa positiva por parte da gestão municipal o retorno deste trecho”, resumiu.

 

Logo em seguida, foi a vez das Filhas de Olorum colorirem de vermelho e branco o circuito alternativo. Jorge Ribeiro, presidente do bloco, fez uma avaliação positiva da festa até então. “Eu, como carnavalesco, fiquei surpreendido por que o Carnaval está tranquilo e bem viabilizado, principalmente para idosos, que são a maioria do nosso bloco. A Prefeitura está de parabéns, por que houve uma mudança que a gente já percebe que é notória”, comentou.

 

Mais atrações – O circuito ainda recebeu, neste domingo (15), os blocos Tempero de Negro, Dança Bahia, Furacão 2001 e Afro Liberdade. Até a próxima terça-feira (17), mais 14 atrações devem passar pelo Contra Fluxo. No último dia dos desfiles, os Filhos de Gandhy, mais uma vez, vão passar com o tradicional “tapete branco” pelas ruas do Centro Histórico de Salvador.

 

“A volta da Carlos Gomes ao Carnaval melhorou muito para todos nós. Aqui, antes, não havia muitos atrativos ao folião. Agora, nós passamos a ter uma visibilidade ainda maior com esse retorno”, falou o presidente do bloco Tempero de Negro, Rui Santana.

0
0
0
s2sdefault