Domingo , 19 Novembro 2017

 

Com clima de bastante entusiasmo e de sentimento de compromisso com a cidade, os 160 conselheiros comunitários de Salvador tomaram posse na tarde desta quinta-feira (13), no auditório do Instituto Federal da Bahia (Ifba), no Barbalho. Os membros diplomados, distribuídos nas dez Prefeituras-Bairro da cidade, vão atuar na fiscalização, sugerindo obras, além de intervenções, aproximando a população dos serviços públicos municipais.

Os conselheiros foram eleitos em processo realizado entre os meses de outubro e dezembro por membros de associações e entidades cadastradas junto à sede da Diretoria-Geral das Prefeituras-Bairro. Eles atuarão em grupos de 13 a 21 para cada Prefeitura-Bairro. Por exemplo, na Prefeitura-Bairro do Centro, inaugurada nesta quarta-feira (12), contará com 23 conselheiros para atender a região central da cidade.

CONSELHEIROS1402

Interlocutores do município - O diretor geral das Prefeituras-Bairro, Reinaldo Braga, destacou que os conselheiros terão atribuições como identificar as necessidades de cada bairro; ajudar a Prefeitura na elaboração do Orçamento para 2015 e anos seguintes, com indicação das prioridades; e serem interlocutores da administração municipal com as concessionárias de energia, água e telefonia, por exemplo. “Além de conhecermos quem trabalha nas lideranças das comunidades, estamos reconhecendo o trabalho desenvolvido por eles. Teremos, assim, informações qualificadas sobre o que cada bairro necessita”, afirmou Braga.

Acompanhado também da vice-prefeita Célia Sacramento e do secretário de Gestão, Alexandre Pauperio, o prefeito ACM Neto ressaltou a importância do empoderamento dos conselheiros e a necessidade da participação destes na administração da cidade. “Mesmo contando com a equipe de gestores e funcionários municipais, é impossível administrar sozinho uma cidade como Salvador. Por isso, precisamos da ajuda de cada um de vocês nessa tarefa”, afirmou. O prefeito também aproveitou a ocasião para informar que foi assinado hoje um convênio entre a Prefeitura e o Tribunal de Justiça da Bahia, que resultará na disponibilização de um Balcão de Justiça em cada sede das Prefeituras-Bairro.

O presidente do Conselho Comunitário de Pau da Lima, José Roberto de Sales, acredita que a nova dinâmica de descentralização da Prefeitura é uma forma de os líderes comunitários serem melhor ouvidos e participar da construção de uma cidade voltada para as comunidades mais carentes. “Essa forma de deliberar poderes para as lideranças é a forma mais correta de desenvolvermos o nosso trabalho de construção de políticas públicas, além de dar mais visibilidade às comunidades”, avaliou.

A conselheira comunitária de Itapuã, Deusdete Oliveira, também ressalta a importância da iniciativa. “São os conselheiros comunitários que têm conhecimento da realidade dos bairros. Então é realmente impossível a Prefeitura conseguir governar sozinha sem ter esse conhecimento da demanda”, arrematou.